Home CULTURA Diversos Atividades fazem homenagem ao Dia da Consciência Negra

Atividades fazem homenagem ao Dia da Consciência Negra

0

A Secretaria Municipal de Cultura do Rio comemora o Dia da Consciência com diversas atividades pelos seus equipamentos. Um dos pilares da identidade carioca, a valorização da cultura afro-brasileira é uma das principais diretrizes da atual gestão. Primeira mulher negra a tornar-se Secretária Municipal de Cultura, Nilcemar Nogueira tem implantado projetos e políticas culturais em que se destacam a preservação da memória e o estímulo às manifestações culturais de origem africana.

Um dos destaques é a homenagem ao símbolo da resistência cultural africana. Tia Ciata será homenageada durante um cortejo na Praça Onze no dia 20 de novembro, às 10h. A escultura de Tia Ciata sai acompanhada de dançarinos, tocadores, músicos e diversos artistas em direção à estátua de Zumbi, celebrando a Pequena África, sua história, sua cultura e sua fé.

Uma das principais iniciativas desta gestão, o Museu da História e da Cultura Afro-brasileira preparou uma programação especial: a visita mediada ao território da “Pequena África” em todas as sextas-feiras de novembro, às 10h.

A caminhada começará no Cais do Valongo e terminará na sede do Museu da História e da Cultura Afro-brasileira, na Gamboa. O grupo terá a possibilidade de conhecer a Pedra do Sal, Jardim Suspenso do Valongo, Largo do Depósito e Cemitério dos Pretos Novos.

Mais informações e detalhes no evento no site www.rio.rj.gov.br/web/smc.

 

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

CORTEJO CELEBRA O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA: Tradição há quatro anos, o Cortejo da Tia Ciata, evento em homenagem ao símbolo da resistência cultural africana, acontece na próxima terça, Dia da Consciência Negra, a partir das 10h. A escultura de Tia Ciata sai do Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, acompanhada de dançarinos, tocadores, músicos e diversos artistas em direção à estátua de Zumbi.

Matriarca negra e figura fundamental para a manutenção e enriquecimento da cultura, Tia Ciata foi uma das figuras mais influentes para o surgimento do samba carioca. Neste dia, celebra-se o encontro de dois personagens emblemáticos da cultura negra brasileira: Tia Ciata e Zumbi.

Terça (20), a partir das 10h. Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian. Rua Benedito Hipólito 125, Praça Onze. Grátis.

EMPREENDEDORISMO AFRO NO TERREIRÃO: O Dia da Consciência Negra também será lembrado no evento “Terreirão – Consciência e Resistência”, que pretende fazer um resgate das raízes negras, com o objetivo de revitalizar os valores culturais afro-brasileiros.
Para celebrar as conquistas e fortalecer ações voltadas ao afro empreendedorismo, haverá expositores de moda, artesanato, música, literatura, culinária e arte. Para animar o público,  além de oficina literária e desfile de moda afro, haverá apresentações de grupos de samba de raiz, funks tradicionais e baile charme.
Terça (20), a partir das 13h. Terreirão do Samba. Rua Benedito Hipólito 125, Praça Onze. Gratuito.

CULTURA AFRO EM IRAJÁ: No dia 20, a partir das 15h, a Lona Cultural Municipal João Bosco abre suas portas para a celebração do Dia da Consciência Negra. O público vai acompanhar apresentação de dança afro, roda de capoeira, exibição de curtas, a intervenção “Poemas Negros”, apresentação de hip hop e Festa Black. A entrada é gratuita.

HISTÓRIA DE LUIZ GAMA NO PALCO: Até 28 de novembro, continua em cartaz no Teatro Municipal Serrador a peça “Luiz Gama – Uma voz pela liberdade” com sessões acontecem às terças e quartas, às 19h30. O espetáculo relata a história de um advogado negro que viveu entre 1830 e 1882. Mesmo tendo nascido livre, já que seu pai era branco e sua mãe uma escrava alforriada, Gama foi vendido como escravo aos 10 anos pelo pai, mas mudou seu destino. Aprendeu a ler e escrever e, depois, frequentou como ouvinte as aulas da Faculdade de Direito. Como advogado, mesmo sem ter o diploma, atuou em defesa dos negros, libertando mais de 500 escravos do cativeiro ilegal. Em 2018, Luiz Gama foi oficialmente reconhecido como o Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil e também inscrito no Livro dos Heróis da Pátria. Os ingressos custam a partir de R$ 20 (meia).

REFLEXÃO: Apresentação dos alunos das oficinas de ballet, jazz e capoeira. O objetivo é colaborar para a reflexão sobre a posição histórica e cultural dos negros na sociedade. Areninha Carioca Gilberto Gil, em Realengo. Dia 22 de novembro, às 17h. GRÁTIS.

40º SARAU JOVELINA:  Literatura, música, artes cênicas/circenses/plásticas, dança, audiovisual e muito mais no Sarau que é um espaço de começos e formação de novas redes para artistas locais. Arena Carioca Jovelina Pérola negra, na Pavuna. Dia 22 de novembro, a partir das 19h30. GRÁTIS.

LÁ FORA CONVIDA – AFRO BLACK: A Arena Carioca Carlos Roberto de Oliveira – Dicró realiza o Lá Fora Convida com a participação da CIA de Dança Afro Black que traz para sua apresentação a temática “O Exército de Wakanda”, no dia 25 de novembro, às 16h. O evento leva à arena uma tarde com exposições visuais, música e mostra de curta metragens independentes. A ideia dessa edição é evidenciar o protagonismo negro, trazendo de volta as origens negras que possuem suas realezas. A entrada é gratuita. A Arena fica na Rua Flora Lobo 184, na Penha Circular.

ARENA CARIOCA ABELARDO BARBOSA – CHACRINHA: A Arena Carioca Abelardo Barbosa – Chacrinha celebrará o Dia da Consciência Negra durante o Sarau, que acontece no dia 25 de novembro, às 16h. A atividade mensal reúne artistas de diversas linguagens em uma programação gratuita. No mês de novembro o Sarau homenageará alguns artistas, entre eles, Elisa Lucinda. A entrada é gratuita. A Arena Carioca Abelardo Barbosa – Chacrinha fica na Rua Soldado Elizeu Hipólito 138, em Pedra de Guaratiba.

Foto Divulgação

Veja mais artigos
Load More In Diversos

Verifique também

Theatro Municipal abre a Temporada 2021 Abertura On-Line

No mês em que a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro completa 90 ano…