Home MÚSICA Unabomber retrata convulsões sociais em novo clipe

Unabomber retrata convulsões sociais em novo clipe

0

“A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina” tem performance explosiva

O caos social do Rio de Janeiro ganha força nas canções do Unabomber. Tradicional banda do underground no estado, eles continuam a surpreender após muitos anos de estrada. Em “A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina”, o grupo canta a relação distópica entre modernidade e natureza cada vez mais atual. O vídeo já está disponível no canal oficial de YouTube e a faixa integra o EP “O Mal da Máquina Morre”, lançado em 2019.

Ouça o EP “O Mal da Máquina Morre”: https://album.link/br/i/1449042045

Clipe Unabomber

Contrastando imagens de arquivo da internet com a banda ao vivo, o registro busca demonstrar os atuais conflitos entre o mercado, a produtividade e meio ambiente presentes na letra, composta por Ayam Ubrais Barcos.

“É uma poesia política com metáforas. A máquina representa o sistema e o molotov é a consciência, de repente iluminada. O saber que se está dentro desse sistema e como ele funciona. A consciência, antes nas trevas, está incendiada, iluminada”, reflete o compositor.

No início da história do Unabomber, se reuniram para tocar despretensiosamente o baterista Paulo Stocco (com passagens por Jason, Mandril e Perdidos na Selva), os irmãos Sandro Luz (guitarra) e André Luz (vocais) e o baixista Alan Vieira, responsável pela produção do novo vídeo. Após alguns shows, resolveram recrutar mais um guitarrista e Jeff Barata assumiu a posição.

A estreia da banda foi em 1995 com uma demotape auto-produzida homônima. A repercussão foi grande, chegando a todos os zines especializados da época. A segunda tape, “R”, teve produção de Rafael Ramos (Pitty, Titãs, Dead Fish) e foi lançada em 1998. No ano seguinte, o Unabomber encerrou suas atividades.

18 anos depois eles voltaram com o EP “Massas & Manobras S/A”, com produção musical de Celo Oliveira, além de projeto visual do fotógrafo Marcos Hermes. E em meio ao xadrez sócio político vivido no presente, a banda compôs e gravou “Silêncio”, também produzida por Celo Oliveira e lançada no final de 2017, como primeira faixa inédita após o retorno. Jeff, o segundo guitarrista, deixou a banda pouco após esse single.

Voltando às origens em sua formação de quarteto, o Unabomber lançou uma versão de “Pesadelo”, composta por Paulo César Pinheiro e Maurício Tapajós, gravada originalmente pelo MPB4 em 1972. A letra é atual e passeia por velhas preocupações ressurgidas e a necessidade de novas perspectivas, em meio à maior polarização política, social e ideológica jamais vista no país.

Isso se reflete em “O Mal da Máquina Morre”, EP lançado esse ano e que conta com “A Celebração da Peleja entre o Molotov e a Máquina”. O lançamento vem para somar a uma história que se estende por quase um quarto de século de arte e luta.
Ficha Técnica:

Vídeo por Alan Vieira

André Luz (voz)

Alan Vieira (baixo)

Paulo Stocco (bateria)

Sandro Luz (guitarra)

Mixado e masterizado por Celo Oliveira
Foto: Marcos Hermes

Veja mais artigos
Load More In MÚSICA

Verifique também

Rebeca lança single por projeto Escuta as Minas, do Spotify Brasil

Intimista “Só Sei Pensar em Você” tem produção musical da franco-portuguesa Sue Um amor co…