Home CULTURA Diversos Lia de Itamaracá convida Jongo da Serrinha para o show Ciranda de Ritmos

Lia de Itamaracá convida Jongo da Serrinha para o show Ciranda de Ritmos

0

Quinta-feira, 17 de outubro, o primeiro dia da Virada Sustentável do Rio, terá um encontro de mulheres negras, cheias de heranças e representatividade na cultura popular brasileira. No palco “Delas”, no Circo Voador, Lia de Itamaracá, a rainha da ciranda, receberá o Jongo da Serrinha, grupo cultural carioca criado por mestre Darcy e Vovó Maria Joana na década de 60, e que hoje tem como base mulheres jongueiras – Lazir Sinval, Dely Monteiro e Luiza Marmello.

Lia de Itamaracá, de 75 anos e mais de 60 de trabalho dedicado à música e às manifestações culturais, é pernambucana e tem como nome de registro Maria Madalena Correia do Nascimento. Consagrada como Rainha da Ciranda, desde 2005 é patrimônio vivo de Pernambuco e durante essa última turnê percorreu diversas cidades do Brasil e países da Europa,  sendo ainda atriz no filme Bacurau, onde fez o papel de Dona Carmelita.

Lia exalta que é muito gratificante ter o pessoal do jongo em seu show. “Eu tive aí no Rio de Janeiro, na época em que Tia Maria era viva e eu gostei do trabalho dela, achei muito importante, porque então não ter uma participação do jongo no meu show? Eu gosto muito e tô amando estar com elas nesse show. O jongo é quase um coco e essa união é a cultura”, explica a mestra da ciranda ”.

Para Lazir, sobrinha-neta de Tia Maria e coordenadora artística do Jongo da Serrinha, este será um show histórico, uma emoção pra todos. “Lia é uma rainha, que tem uma vida dedicada a nossa cultura, nos ensinando todos os seus saberes, um verdadeiro orgulho pra nós.  Só de falar e imaginar esse encontro, sinto vontade de chorar de felicidade! Queria que Tia Maria estivesse aqui também, mas mesmo de onde nossa tia estiver sentiremos sua energia e presença, assim como de todo nosso povo jongueiro, da ciranda, do coco e do maracatu”, conta emocionada.

O Jongo da Serrinha é uma referência da cultura carioca tradicional e seu trabalho artístico, contínuo e independente, levou o jongo a diversos países e cidades brasileiras, fazendo o ritmo ser conhecido por todo país.  O grupo musical é um dos pilares da organização social que com mais de 50 anos promove ações integradas entre cultura, arte, memória, desenvolvimento social, trabalho e renda em sua sede na Casa do Jongo, que para se manter ativa, participa de  uma campanha na Benfeitoria (https://benfeitoria.com/casadojongo),  com contribuições que variam de R$20,00 a R$100,00, onde é possível se tornar assinante e ajudar este Centro de Memória permanente e as crianças por ele assistidas.

Lia de Itamaracá e Jongo da Serrinha se apresentam na Virada Sustentável do Rio, no Circo Voador, a partir das 22h30, com entrada gratuita, mas com a sugestão de doação de 1 Kg de alimento, em 17 de outubro.

Fotos: Rui Zilnet
Veja mais artigos
Load More In Diversos

Verifique também

Primeiro Festival Canta Zona Norte Capoeira é realizado, neste sábado

Competição de cantigas é sinônimo de aprendizado e cultura Um encontro de compositores de …