Home MÚSICA Tripa Seca lança álbum de estreia

Tripa Seca lança álbum de estreia

0

Com caminhos cruzados em bandas e artistas como Acabou La Tequila, Lafayette & Os Tremendões, Caetano Veloso e Nina Becker, o projeto surgiu em 2015 trazendo de volta os elos criativos para o círculo de amizade.

“Eu sentia muita falta de voltar a uma relação criativa com o Marcelo, que em 2001, começou a me ajudar a produzir meu primeiro EP, ‘Personalidade’, e com o Renato, a ponto de, durante uma cerveja pós-ensaio do Lafayette, sugerir essa encrenca. A dinâmica que tínhamos no Tequila, com uma identidade sem identidade, também foi um fator”, reflete André Paixão, que ganhou notoriedade com o Nervoso e os Calmantes.

Foi com esse trio que se formou o projeto – que eles afirmam, categoricamente, não ser uma banda. Gravado e mixado no SuperStudio, no Rio de Janeiro, o disco apresenta um repertório eclético de canções, que lembra a proposta do Acabou La Tequila, antigo trabalho de André e Renato. Proprietário do estúdio e responsável pela sonoridade do Tripa Seca, André trabalhou em cada timbre para atingir o clima de cada composição em um trabalho fruto de sua produção de trilhas sonoras para cinema, TV e teatro. Após um único show no Teatro Ipanema, juntaram-se à banda os amigos Melvin (Carbona) e o guitarrista Léo Vieira, agregando o clima de encontro casual e olhar despretensioso.

Veja o clipe “Bipolar”:

Veja o clipe “Universo Paralelo”:

“A música é um grande lugar de encontros. Ao longo da vida, meus projetos musicais sempre foram isso. Meus melhores amigos se tornavam uma banda, ou então, ao escolher alguém para fazer música, essa escolha acabava criando laços afetivos. Vejo a música como algo ritualístico nessas relações. É a cerveja antes ou depois do ensaio, do show, é a experiência de uma viagem juntos. É essa construção coletiva que dá sentido à arte, ao mesmo tempo em que faz dela algo tão poderoso”, conta Martins.

O disco começou a ser gestado ainda em 2015 com a criação de alguns singles e experimentações em sonoridades diferentes. Feito com calma, “Tripa Seca” teve produção de Paixão com co-produção de Martins e Callado. O álbum conta com participações especiais de Fernando Bastos, Fernando Oliveira e André Dessandes e está disponível em todas as plataformas de streaming de música.

Ficha Técnica:

Faixas 01, 02, 03, 04, 05, 06 mixadas por André Paixão no SuperStudio

Faixas 07, 08, 09, 10 mixadas por Léo Ribeiro no Estúdio Do Amor

Produzido por André Paixão

Co-produzido por Marcelo Callado e Renato Martins

Participações Especiais:

Fernando Bastos (Rats): Acordeon em “Bipolar”

Fernando Oliveira (Rats): Trompete em “Neve”

André Dessandes: Mini Moog em “Vai Com Deus”

1 – Mil (Marcelo Callado | Renato Martins)

Marcelo Callado – vozes, bateria, percussão

Melvin – baixo

Léo Vieira – guitarras

Renato Martins – guitarras

André Paixão – guitarras, sintetizadores

2 – Cicatrizes (Marcelo Callado | Renato Martins | André Paixão)

Marcelo Callado – vozes, bateria, percussão

Melvin – baixo e coros

Léo Vieira – guitarras e coros

Renato Martins – guitarras e coros

André Paixão – guitarras, timbales, agogô, orgão, coros

3 – Vai Que Eu Vou (Renato Martins | André Paixão | Marcelo Callado)

Renato Martins – voz, coros, guitarra

Marcelo Callado – coro, bateria, percussão, programações e guitarra

Melvin – baixo e coros

Léo Vieira – guitarras e coros

André Paixão – guitarras, coro, voz cucaracha, percussão, programação, palmas, sintetizador Mini Moog, samples

4 – Neve (Renato Martins)Renato Martins – voz, coros, guitarra

Marcelo Callado – coro, bateria, percussão,

Melvin – baixo

Léo Vieira – violão, slide, guitarra e coro

André Paixão – guitarras, coro, percussão, sintetizador, piano

Fernando Oliveira – trompete e banjo

5 – Bipolar (Renato Martins)

Renato Martins – voz, coros, guitarra

Marcelo Callado – coro, bateria, percussão,

Melvin – baixo

André Paixão – guitarras, coro,

Fernando Bastos – acordeon

6 – Universo Paralelo (André Paixão | Renato Martins)

André Paixão – voz, guitarras, coros, percussão, sintetizadores, samples, piano, programações

Renato Martins – coros

Marcelo Callado – percussão metálica

7 – Na Palavra (Renato Martins)

Renato Martins – voz, coros, guitarra

Marcelo Callado – coro, bateria, percussão,

Melvin – baixo, coro

André Paixão – guitarras, coro, palmas, orgão, sintetizador

Léo Vieira – guitarra solo, coros

8 – A Paisagem (André Paixão | Renato Martins)

André Paixão – voz, violão, baixo, guitarra, coros, sintetizador, pandeirola

Marcelo Callado – bateria

Léo Vieira – slide solo

Renato Martins – guitarra

9 – Vai Com Deus (Renato Martins | Marcelo Callado)

Renato Martins – voz, coros, guitarra

Marcelo Callado – bateria, percussão, guitarra, coro

Melvin – baixo, coro

André Paixão – guitarras, coro, palmas, orgão, sintetizador, programações, samples

André Dessandes – sintetizador Mini Moog

10 – My Saturation (André Paixão | Marcelo Callado)

André Paixão – voz, guitarra, coros, sintetizador, pandeirola, programações

Marcelo Callado – bateria, coros

Léo Vieira – violão, coros, guitarras

Renato Martins – guitarra, coros

Faixa-a-faixa, por André Paixão:

1 – MIL

Essa tem umas referências que lembram Titãs em algum momento.  Abre com samples com berros proferidos por uma garota endoidecida que conhecemos em Porto Alegre. Ela estava com o namorado mas queria ficar na mesa com a gente depois que falamos o nome da banda, entre outras loucuras.

2 – CICATRIZES

A música nasceu do Renato e Marcelo. Lembra canções do Ween com referências caribenhas latinas.

3 – VAI QUE EU VOU

Carimbó, guitarrada, brega nortenho. Essa música entrou no filme “O Tempo Feliz Que Passou”, do diretor paraibano André da Costa Pinto, previsto para estrear ainda este ano.

4 – NEVE

Chegamos a tocar essa com o Acabou La Tequila. Folk a la Neil Young com Nick Drake romântico. Letra inspirada, escrita pelo Renato (que assina a maioria das letras do disco, inclusive) que lembra comerciais de doces ou dia dos namorados. Tem trompete e banjo do nosso amigo Fernando Oliveira (Rats).

5 – BIPOLAR

Nosso primeiro clipe, filmado em Paquetá com direção de Mariana Cardin. Foi tudo muito louco nessa gravação. A banda ainda era um trio; Marcelo encontrou a casa onde morou na infância e não queria sair da ilha. Fiquei com ele até a última barca, quando todos já tinham ido embora. Com acordeon de Fernando Bastos (Rats).

6 – UNIVERSO PARALELO

Composta no mesmo fim de semana que A Paisagem. Começou a partir de uma letra escrita pelo Renato seguida por uma sequência programada num GarageBand instalado no meu iPad.

7 – NA PALAVRA

A mais aceleradinha do disco. Bem na dinâmica hardcore que levávamos para o Acabou la Tequila em formato parte A, parte B e ponto final. Simples como dois acordes.

8 – A PAISAGEM

Letra do Renato com melodia e harmonia desenvolvidas por mim num fim de semana de rompimento com minha companheira. Pensei muito em Grant Lee Buffalo quando compus essa.

9 – VAI COM DEUS

Talvez a mais curta e pesada do disco, apesar de não tão rápida como “Na Palavra”. Penso em Ministry e Butthole Surfers somados a sequências programadas em sintetizadores antigos e samples industriais.

10 – MY SATURATION

Melodia gravada no celular há anos combinada com meu amor as bandas Polyphonic Spree e Pink Floyd. Mais uma com base eletrônica programada com sintetizadores e coros.

Foto Jenner

Veja mais artigos
Load More In MÚSICA

Verifique também

Fairy Goat e uma road trip sombria em novo clipe

Em uma espécie de road trip pelo Sul do país, o duo Fairy Goat embarca em uma vibe dark. E…