Home CULTURA Centro Municipal de Arte Helio Oiticica inaugura exposições

Centro Municipal de Arte Helio Oiticica inaugura exposições

0

Três novas exposições entram em cartaz no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica (CMAHO) a partir do próximo sábado, dia 6.  Tendo em comum a temática do racismo, as mostras “Ìtàn – Narrativas do Corpo Negro”, “Noite” e “Ruptura do Invisível – O Encanecer” são compostas por fotografias, pinturas e instalações que trazem à tona discussões sobre a diáspora africana, a produção feminina e a articulação das redes de artistas de mulheres não-brancas, além de reflexões sobre arte e racismo.

Na exposição “Ìtàn – Narrativas do Corpo Negro”, o fotógrafo Leandro Cunha remete a histórias ancestrais dos orixás por meio de expressivos registros de 30 artistas negros. Sua pesquisa busca valorizar a experiência contemporânea do corpo negro imersa na cultura da diáspora, suscitando debates sobre o tratamento historicamente pejorativo e desigual dado ao negro e à negra, sobre a resistência e sobre os crimes de racismo religioso. A partir disso, a fotografia tenta provocar o corpo de quem a visualiza, abrindo as portas da imaginação e do inconsciente coletivo de seus visitantes.

A “Noite” mostra a potencialidade e a pluralidade da produção feminina do Coletivo Trovoa, após concluir o período de residência no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica. Através de diferentes linguagens como pintura e fotografia, além de instalações,  a mostra coloca em evidência 28 obras desenvolvidos por 22 artistas durante a residência. O objetivo do grupo é também articular as redes de artistas mulheres não-brancas, ampliando assim sua presença e relevância em circuitos de arte.

Em “Ruptura do Invisível – O Encanecer”, a proposta é estimular reflexões sobre arte e racismo. A mostra reúne 13 trabalhos com base em duas séries, intituladas “Preto de Alma Branca” e “Branco de Alma Preta”. Criados solitariamente em estúdio, os autorretratos do artista Sérgio Adriano H. revelam o seu rosto pintado de dois modos, ora todo de branco e com choro de lágrimas negras, ora em tom negro e lágrimas brancas. Os autorretratos impressos do autor passaram por um processo de “embranquecimento” provocado pelo uso de água sanitária e sabão em pó, fazendo emergir outras séries de imagens. Na visão do artista, a distorção tem como objetivo evidenciar a dor de ser negro no Brasil.

Serviço

EXPOSIÇÕES

Ìtàn – Narrativas do Corpo Negro

De 6 a 27 de abril

De segunda a sábado, das 12h às 18h

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica

Endereço: Rua Luís de Camões 68, Praça Tiradentes

Entrada gratuita

Ruptura do Invisível – O Encanecer

De 6 de abril a 11 de maio

De segunda a sábado, das 12h às 18h

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica

Endereço: Rua Luís de Camões 68, Praça Tiradentes

Entrada gratuita

Noite

De 6 de abril a 11 de maio

De segunda a sábado, das 12h às 18h

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica

Endereço: Rua Luís de Camões 68, Praça Tiradentes

Entrada gratuita

 

Veja mais artigos
Load More In CULTURA

Verifique também

Mim, Chita (ensaio aberto) no domingo tem entrada franca na Cidade das Artes

Tem quiprocuó das coxias + fotos, objetos, vídeos em exposição + leitura de 3h de duração …